20 de ago de 2009

Os novos viciados


Poder corrompe: essa máxima antiga está cada dia mais válida e mais visível na política brasileira. Poder vicia, também. Ontem, num esforço ridículo e baixo, os senadores do PT votaram a favor da corrupção e do desmando e absolveram José Sarney. Como aqueles novos viciados que ainda se envergonham da baixeza onde o vício os levou, tentaram disfarçar e se esconder: Delcídio Amaral chegou a usar óculos e colocar livros na frente do rosto! Ideli Salvatti e João Pedro não chegaram nem perto do microfone, votando sorrateiramente, olhando medrosos para as câmeras de televisão, querendo se esconder do público, do eleitor. Foram um dia de um partido que se dizia progressista, honesto, de esquerda, vigilante contra os desmandos e corrupções da política brasileira. Estão agora como os viciados da cracolândia do poder - o vício sujo da corrupção, dos interesses escusos e do clientelismo está pegado a eles com o carimbo da baba viscosa do Sarney, com o peguento aperto de mão do PMDB, a carteirinha de membro efetivo e proeminente do clube da velha política.
Pelo menos um dos senadores do partido, o Flávio Arns, disse ter vergonha de estar no PT. Os senadores que votaram pediram para ser substituídos, porque têm candidatura pela frente. Não discordam! Eles não discordam do que fizeram, eles só queriam fazer essas coisas escondidos, pois pega mal uma traição tão patente ao eleitor. Mas se depender do chefe mor da quadrilha, o Lula, o eleitor ficar sabendo dessas coisas não deveria acontecer. Fala dele: "Este país teve um presidente que governou com mão dura durante 15 anos, chamado Getúlio Vargas (...) esse homem, em quatro anos de democracia, foi levado ao suicídio porque era chamado de ladrão todos os dias". Taí, esse inspirado guia genial dos povos: a culpa não é da corrupção, da jogatina, da esculhambação, das alianças espúrias. A culpa é de quem divulga isso. É por conta desses meliantes da imprensa que os senadores do PT ainda têm que se esconder para praticar esses atos vergonhosos dos viciados em poder, se vender, se prostituir em frente às câmeras, e não nos escurinhos dos corredores do Congresso... ainda vão conseguir, quem sabe, seguir o exemplo do Chaves e tapar a boca dos adversários, para que possam se refestelar e se esponjar no vício da corrupção e da prostituição moral sem se preocupar com quem está olhando.

2 comentários:

Artur Versiani Scott Varella disse...

muito bom mesmo! fico pensando na vergonha, no que, não só eles, mas nós fazemos e não queremos que outros saibam ou temos vergonha... às vezes não acho muitas, às vezes me passam na cabeça. de qualquer forma, acho que as pessoas quando ainda com alguma dignidade diluem a culpa, a tomam com muita água... daí parece que a quantidade de água pode ser diminuída gradativamente. é impressionante o poder do cara, baixando a cabeça de tantos... abs.

Artur Versiani Scott Varella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.