25 de ago de 2009

Finais

Escrevi sobre começos de livros - começos fantásticos, que prendem a gente até o final do livro, tal a força das palavras. E os finais? Acho a sensação de terminar o livro às vezes traumatizante. Não queria que Guerra e Paz acabasse, e já o reli pelo menos uma dezena de vezes. Com o Grande Sertão: Veredas, mesma coisa - no final fui até "economizando" o livro, lendo um pouquim de cada vez...
Algumas experiências interessantes: li o Almas Mortas, do Gogol, muito cedo - cedo demais, até. E no fim do calhamaço vinha dizendo que estava incompleto, que o Gogol tinha queimado a última parte, etc. Deu vontade de matar a bibliotecária que tinha indicado o livro e que, obviamente, nunca tinha lido a porcaria. Vi esses dias uma exposição do Chagall onde ele fez uma série de gravuras influenciado pelo livro; pesquisando, descobri que o livro é considerado terminado do jeito que está, mesmo. Não reli ainda, tamanho o trauma - apesar de saber que é considerado uma das obras monumentais da literatura mundial. Chego lá - mas pelo que lembro não tem um fim definitivo, não, mesmo que seja um deleite literário.
Outro que ficou entalado na garganta: A Guerra do Fim do Mundo, do Vargas Llosa, que conta Canudos sob outra perspectiva. É que o Llosa chama o personagem Euclides da Cunha de "Jornalista", nunca pelo nome. E fiquei o livro todo, "que truquezinho barato, no final ele vai falar o nome do jornalista como se fosse um bum!, uma revelação, mágica besta...", não conseguia tirar essa birra da cabeça e não consegui prestar atenção direito no livro. No fim, não, ele não "revela" o nome... Falando em Canudos, o melhor final de toda a literatura, para mim, poderia ser o de Os Sertões, não fosse o Euclides ter continuado ainda por página e meia. Mas se tivesse parado nisso, seria inatacável e inalcançável. Onde está, continua belíssimo:

"Fechemos este livro.
Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda a história, resistiu até ao esgotamento completo. Expugnado palmo a palmo, na precisão integral do termo, caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente 5 mil soldados."

PS: Mais uma birra besta: alguém mais acha que devia ser "resistiu até O esgotamento completo"?

Nenhum comentário: