27 de fev de 2009

Luz no fim do tunel

Deus, como se sabe, pra fazer o mundo não usou régua e compasso, apenas o verbo. Daí a falta de perspectiva.
* Millôr


26 de fev de 2009

Mulheres

Se "o demônio habita nos detalhes", como disse alguém de quem já não lembro o nome, o divino também... abaixo, um vídeo com a Laureen Bacall cantando. O Bogart quase não consegue acender o cigarro. Compreensível, perdoaria até se ele tivesse babado de verdade. Junto com Jeanne Moreau, faz parte de um seletíssimo grupo de mulheres que são belas inteiras - Groucho brincava que quem procura a beleza interior numa mulher está perdendo a melhor parte: não nelas. Têm algo no olhar, na postura, no jeito de mexer as mãos, de uma força, uma segurança e uma personalidade que apaixonam.

24 de fev de 2009

Dúvidas apócrifas de Mariane Moore

Sempre evitei falar de mim,
falar-me. Quis falar de coisas.
Mas na seleção dessas coisas
não haverá um falar de mim?

Não haverá nesse pudor
de falar-me uma confissão,
uma indireta confissão,
pelo avesso, e sempre impudor?

A coisa de que se falar
Até onde está pura ou impura?
Ou sempre se impõe, mesmo
Impuramente, a quem dela quer falar?

Como saber, se há tanta coisa
de que falar ou não falar?
E se o evitá-la, o não falar,
é forma de falar da coisa?

João Cabral de Melo Neto

18 de fev de 2009

Claustrofobia

Em Salinas. Primeira escola de informática da cidade - depois viria escola de inglês, uma rádio FM... trabalhando o que pareciam ser dezenas de horas por dia. Dezenas de alunos. Sentimento de esmagamento, de claustrofobia, de absoluta falta de gente coexistível. Depois, à noite, buteco. O amigo escutava, entre sério e compreensivo (era da cidade, gostava de lá, nunca tinha saído, e nem queria sair):
- O problema é não ter mais nada pra fazer... a gente devia fazer uma revolução nessa cidade!
- oumhh... (barulho de concordância inconclusiva)
- Do jeito que isso aqui está, eu vou começar a ficar tonto com a rotação dos pastos. Meu deus, é o próprio retrato da "vida besta" do Drummond!
Agora o amigo está balançando a cabeça, com o braço pra cima tentando chamar a atenção de um garçom enquanto olha passar uma moça de minissaia, rabo de olho.
- Preciso de desafios, de fazer alguma coisa que eu goste de fazer de verdade, escrever, sei lá. Preciso criar, criar!, criar, entende?
E o amigo, no encerramento definitivo da conversa:
- Que tal piriquito? Não dá trabalho nenhum...

* Idéia roubada de Angeli. E sei que priquito é com "e".

17 de fev de 2009

Carnaval



Email de um baiano: "Pôxa, o Carnaval já está quase acabando e você não veio!". Ótimo, né? Parece o antigo jornal Planeta Diário: "Escândalo! Bahia já tem três dias úteis!". Mas aquela festa toda sempre me dá prazer de ver - de ver, só, que aquele barulho de perto é insuportável. Já no Rio, pelo menos, o maior bloco de sujos se transferiu para Brasília há muito tempo. O Planalto já toca o Samba do Crioulo Doido, com acompanhamento do Congresso e com o Supremo dando uma palhinha de vez em quando. Brasília só perde atualmente no quesito fantasia, e mesmo assim porque não é ano eleitoral.

12 de fev de 2009

HaiKai

Na poça da rua

o vira-lata

lambe a lua


* Millôr Fernandes, Hai-Kais, L&PM

8 de fev de 2009

Casos Salinenses - Copacabana


* Sammy Davis Jr. dominava o palco: cantava, dançava, atuava e tocava diversos instrumentos. Por isso, mais do que 23 filmes e 40 LPs, suas performances gravadas ao vivo são seu principal legado. Seus temas mais conhecidos são "Mr. Bojangles", "Candy Man" e "That Old Black Magic". Formou, em parceria com Frank Sinatra, Dean Martin, Peter Lawford e Joey Bishop, o célebre grupo Rat Pack, que atuava nos cassinos de Las Vegas entre 1950 e 1960. O mesmo grupo também produziu filmes, como "Ocean's Eleven" ("Onze homens e um destino") (1960), "Sergeants 3" (1962) e "Robin and the Seven Hoods" (1964).
Fonte: UOL Biografias.

Esse caso não aconteceu em Salinas, mas com salinenses - já não sei agora de qual família, acho que dos Medrado, ou talvez dos Almeida. Cada vez que conto esse caso a carapuça cai numa família diferente. Eram meados dos anos 50, e esses dois salinenses se viram repentinamente ricos, acharam pedras preciosas em uma fazenda, foram para o Rio negociá-las. E o fizeram em grande estilo, tirando onda: suíte no Copa. O Copacabana Palace, que recebia reis e presidentes, também teve sua cota de salinenses... a estada deles coincidiu com uma temporada no Copa do Sammy Davis Jr., ator, cantor, companheiro de Frank Sinatra e Dean Martin em vários filmes, estrela internacional, etc. A temporada acabou, três ou quatro apresentações, e no dia seguinte, lá estavam os dois salinenses no salão novamente, repentinamente vazio, jantando tranquilamente - até que chamaram um garçom pra perguntar: - Vem cá, aquele neguim que cantava aqui parou de vir?!

3 de fev de 2009

Leminski


um dia desses quero ser
um grande poeta inglês
do século passado
dizer
ó céu ó mar ó clã ó destino
lutar na índia em 1866
e sumir num naufrágio clandestino