8 de out de 2009

Casos - O Ganso e o Capeta

O GANSO do título, no caso, era um grande amigo, falecido recentemente. Que, entre todas as (muitas) idiossincrasias, tinha medo do escuro. Certa vez, quando eu morava em uma chácara em Santo Antônio do Leite, o hospedei por alguns dias. Num desses dias, tendo me demorado mais do que o normal no trabalho, cheguei em casa já mais tarde da noite e vi tudo - tudo mesmo! - aceso. Parecia uma festa: televisão ligada, fogão com todas as bocas acesas, todas as luzes existentes ligadas, o rádio numa altura doida e o carro dele todo torto no caminho da casa com farol aceso, iluminando a parte de trás da chácara. Quando entrei em casa ele deu um pulo como aqueles de gato de desenho animado, que fincam as unhas no teto, com os olhos quase saltando das órbitas de tão arregalados."Que foi que aconteceu?!", perguntei, e ele, disfarçando, "Nada não, nada não...".
......Em Ouro Preto, onde ele estava morando, me pedia para dormir na casa dele sempre que a esposa se ausentava - pra ajudar a "tomar conta da casa". Como ele morava em apartamento, recusava, e ele quase se ajoelhava pra pedir pelamordedeus e eu acabava cedendo, depois dele confessar que tinha medo do escuro.
......Mas resolvi confrontá-lo e tirar isso a limpo:
- Você tem medo de escuro mesmo?
- Bom... não de escuro, escuro, mesmo... mais de ficar sozinho.
- Mas do que é que você tem medo?! De alma?
- Não! De alma não...
......Depois de muita, muita insistência, ele acabou contando:
- Tenho medo é de capeta...
- De CAPETA?!?!
- É, tenho medo do capeta aparecer de noite, explicou ressabiado, meio envergonhado.
- Mas o que diabos você acha que eu posso fazer se o capeta aparecer?
- Você, nada. Mas você tá gordo, e se o capeta aparecer, eu corro mais do que você!
......Pois o miserável, a quem por amizade e consideração eu fazia companhia nessas noites de terror dele, não estava querendo minha companhia nada não. O féadaputa estava era me usando de isca de capeta!!!

2 comentários:

CORUJA disse...

Max!
Que texto bem feito! E o caso é típico do Ganso, mesmo! Ao ler, é como se ele estivesse falando, sempre pontuando as frases com "... pois é, minino..."!
Parabéns e abraço aí.

Beto Sarmento disse...

Pança, você se lembra do BISÃO? (viado virgem criado pela avó!!!) Nâo tem nada a ver com o texto. è porque lembrei do Ganso!! Eh tempo bom!