3 de set de 2008

Sapiências e paciências

Cheguei de palestra & mesa redonda sobre filosofia oriental: o Mundo Como Vontade e Representação, do Schopenhauer - que segundo Garcia Morente, pode ser tudo mas não é filosofia. Não que o resto da obra do Schopenhauer não seja filosofia, mas a parte "oriental", digamos, é uma criação filosófica ocidental em cima da raiz oriental... e chega, enchi. Já comecei escrever lembrando de uma história do Vinícius de Moraes, aqui em Minas: o Vinícius vem aqui, já poeta consagrado e tal, endeusado pela "mocidade" da época, ainda não estava na fase MPB dele. E aí o Fernando Sabino, o Hélio Pellegrino, Otto Lara, aquela gangue, cada um falando mais do que o outro, atropelando as palavras, cada qual querendo mostrar mais cultura, conhecimento e inteligência do que o outro. E o Vinícius na dele. Aí, uma bela hora, ele olha ao redor, mexe o gelo no copo de uísque com o dedo, vira pra turma e solta: "Bom mesmo é mulher!..."
Pra lembrar que viagens demais são muita viagem, e bom mesmo é mulher. Deixa Schopenhauer, Ortega y Gasset, Morente e úscambau com as nêga deles pra lá.


PS: Levei horas e mais horas traduzindo e legendando um documentário sobre o Stephen Fry, deslindando jogos de palavras, sincronizando legendas, e coloquei no Youtube achando que estava fazendo um favor à "cultura nacional", apresentando um pouco mais do Fry por aqui. Hoje fui ver as estatísticas e 95% das pessoas que vêm o vídeo são americanas e inglesas - e devem estar achando um saco o vídeo com legenda... só rindo, mesmo.

Nenhum comentário: