1 de out de 2008

Eleições - à maneira de...

Misturando Mencken com Millôr, já que estamos a poucos dias da eleição:
Já que a democracia é a ciência desenvolvida para gerir esse circo a partir da jaula dos macacos, pergunto: alguém embarcaria num avião que só decolasse depois dos passageiros elegerem o piloto? A cada eleição que passa começo a acreditar que o brasileiro inventou o voto irônico - seria uma explicação, não? Aliás, a coisa só funcionaria mesmo se além de voto branco, nulo e a distância, tivéssemos também voto retroativo. E o resultado seria um tiquinho mais justo se cada eleitor tivesse direito a um voto a favor e outro contra - ou então apenas o voto contra: o menos votado seria eleito. O perigo seria eleger uma nulidade absoluta, de que ninguém se lembrou nem mesmo de ser contra. Não, não daria certo: esse tipo já anda sendo eleito.
E já que a gente não consegue interferir no resultado, podia pelo menos contar pontos no purgatório.



Um comentário:

debi disse...

Não valeria uma pipoca: o purgatório já era!