12 de ago de 2008

Ai, ai

Reagan, presidente americano, dizia que o ideário dos adversários democratas podia ser resumido assim: se se mexer, taca imposto; se continuar se mexendo, regule; se parar de se mexer, subsidie. Aqui, no governo Lula, fica parecido: se for importante, não mexa; se for a longo prazo, desista; se tiver oportunidade de criar boquinhas, não hesite; se for do Meireles, assine. Principalmente esse último: será que os eleitores sabiam que o slogan "deixe o homem trabalhar" se referia ao Meireles? Podia até parecer óbvio, já que se fosse sobre o Lula teria que ser "Faz o homem trabalhar!". Ao que um colega responde de imediato - você endoidou o cabeção?!? Roberto Campos (1917-2001) costumava dizer que no Brasil a estupidez tinha um passado glorioso e um futuro promissor, e que a diferença entre a genialidade e a estupidez é que a genialidade tem limites. E que não é que o capitalismo não funcione no Brasil, é que é um tipo de modelo econômico que nunca foi tentado por aqui...

Nenhum comentário: