16 de fev de 2008

Bob Fosse

Fazemos às vezes a classificação de filme como de "entretenimento", como uma segunda categoria para a qual não damos tanta importância e vemos apenas para passar o tempo - o que na maioria das vezes serve apenas pra gente ver filmes "intelectualmente duvidosos" na frente dos outros. Já há algum tempo desisti de classificar os filmes segundo padrões do tipo "grande arte", "cinema de autor", "imprescindível", etc., pra mudar para "chato", "bonzim", "inovador sem qualidades salientes", e sim, "imprescindível", "fantástico" também... além de "bela porcaria", "não entendi uma vírgula", "confuso travestido de complexo" e "puta que pariu, esse diretor é o maior ladrão de tempo que já vi". De acordo com o meu gosto e a minha sensibilidade. Esse aí abaixo é um dos que eu considero regular mas adorei assistir, ainda gosto. O Joel Grey como mestre de cerimônias num cabaret na Berlim dos anos 30, com o nazismo começando e se imiscuindo na sociedade alemã, decadente econômicamente e predisposta às loucuras coletivas que vieram depois... as caras do mestre de cerimônias a cada cena de violência, de intolerância, que são intercaladas ao fluxo narrativo são fantásticas, apesar do filme em si ser regular. As músicas são ótimas, e a "mein herr" é pura libertação feminina ecoando Paris dos anos 20, com a Liza querendo percorrer a Europa "inch by inch", polegada por polegada e homem por homem.. vale a pena ver.




Um comentário:

Anônimo disse...

Salve Max,

Pax! Na sua "coluna" do Bob fosse vc nos dá uma idéia criativa para classificação dos filmes mas não fala sobre qual filme vc escreve o comentário...proposital ou esqueci de ler algo?
Aliás, o referido filme entra na categoria "...considero regular mas adorei assistir"? Essa classificação é nova, não estava na nova-lista não.
By the way; opposable thumbs fica bom como "polegares diametrais"?
Amplexos

Miguel Padua